QUOTES de “A Torre Negra – A Escolha dos Três”

Ainda agorinha, terminei de reler A Torre Negra – volume 2: A Escolha dos Três. E chorei no final. E lembrei porque amo Stephen King, Roland Deschain e essa saga maravilhosa. Lembrei com toda minha alma. Vou colocar aqui algumas dos meus excertos preferidos desse volume. Cuidado, naturalmente, haverá spoilers.

Um demônio tomou conta dele. O nome do demônio é HEROÍNA.

o homem de preto sobre Eddie Dean.

 

 Não me deixe morrer sem roupa e precisando de uma dose, meu Deus

oração blásfema de Eddie Dean a beira da morte.

 

-Se tivéssemos tido vontade de estrupá-la, você já seria uma mulher muito bem  comida – disse o pistoleiro num tom tranqüilo – Não faça de novo.

Roland para Detta Walker, vilã e puta-mor do livro.

Mais tarde, com estranhas galáxias dançando lentamente pelo céu, ambos pensaram que o ato de amar nunca tinha sido tão doce, tão pleno.

Primeira noite de Odetta Holmes e Eddie Dean

-(…)Bem, sei como são as coisas; acho terrível, mas não se deve discutir com um maluco.
-Está me dizendo – disse Eddie num tom polido – que ninguém jamais tentou discutir com você o caso dessa Torre Negra que parece tão determinado a alcançar.
Roland sorriu com ar cansado.
-Na realidade muitos já tentaram. Por isso mesmo estou achando que não vou conseguir fazê-lo mudar de idéia. Um maluco sempre reconhece o outro.(…)

Conversa entre Roland e Eddie.

“Escute, disse-lhe o pistoleiro. Só tenho tempo para dizer isto – ou qualquer outra coisa- uma vez. Meu tempo ficou muito curto. Se não responder à minha pergunta, vou colocar seu polegar direito em seu olho direito. Vou empurrá-lo o mais fundo que ele puder ir  e depois vou tirar sua órbita ocular da cabeça e amassá-la no banco desta carruagem como um inseto. Posso continuar muito bem com um único olho. E, afinal, não vou sentir como se o olho fosse meu.”
Seria tão impossível não estar falando sério com Mort quanto Mort não falar sério com ele; a natureza do relacionamento era fria e relutante de ambas as partes, mas era também muito mais íntima do que o mais apaixonado ato sexual conseguiria ser. Tratava-se, afinal, não de uma união de corpos, mas da mais extrema fusão de mentes.

Sobre a relação de Roland Deschain e Jack Mort.

 

Em coisas relacionadas à Torre, o destino se tornava tão misericordioso quanto o isqueiro que salvara sua vida e tão doloroso quanto o fogo que este mesmo milagre provocara. Como as rodas do trem que se aproximava, seguia um curso ao mesmo tempo lógico e esmagadoramente brutal, um curso ao qual só o aço e a doçura podiam resistir.

Sobre o Destino quanto a Torre.

-Quem é você? – perguntou ele com a voz rouca enquanto uma escuridão mais funda que a noite começava a levá-lo.
-Sou três mulheres – ouviu-a responder, e era como se ela estivesse falando do alto de um poço profundo no qual ele
estivesse caindo – Eu que era; eu que não tinha direito de ser, mas era; e sou a mulher que você salvou. Eu lhe agradeço, pistoleiro.

Sussannah Dean(Odetta Holmes, Detta Walker) descrevendo a si mesma a Roland.

 

-Quer saber qual era a única coisa que meu irmão tinha para me ensinar? – As lágrimas deixavam a voz de Eddie pastosa e irregular.
-Quero – disse o pistoleiro. Ele se inclinou para a frente, os olhos colados atentamente nos de Eddie.
-Ele me ensinou que quem mata o que ama fica para sempre condenado.
-Já estou condenado – disse Roland calmamente – Mas talvez até o condenado possa ser salvo.
-Quer mesmo provocar a morte de todos nós?
(…)
-Todos nós vamos morrer um dia – disse o pistoleiro – Não é apenas o mundo que segue adiante. – Olhou diretamente para Eddie, olhos levemente azuis que, sob aquela luz, eram quase cor de ardósia. – Mas seremos magníficos. – fez uma pausa. – Há mais de um mundo a conquistar, Eddie. Eu não arriscaria você e ela… e eu não teria permitido que o garoto morresse… se não existisse mais que isto.
-Do que você está falando?
-De tudo que existe – disse o pistoleiro calmamente. – Vamos seguir em frente, Eddie. Vamos lutar. Vamos ser feridos. E no final vamos estar de pé.
(…)
-Até os condenados amam. – disse ele.

Conversa entre Roland e Eddie.
Anúncios

1 comentário

  1. An · julho 16, 2010

    Yasmim, eu finalmente li “O Pistoleiro”. Tomei coragem e comprei o livro, terminei essa semana… Preciso comprar o segundo volume. ;P Eu adorei. *.*

    E quanto tempo \o.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s