Belém, minha Belém

396 anos de Belém

396 anos de Belém

Hoje minha cidade completa 396 anos de existência.

Esse é um post alienado. Não quero saber de protestos, quero apenas dizer o que minha cidade significa pra mim.

Minha cidade? O que ela é? Ela é uma cidade de miséria, dor, engarrafamento, alagamento, filas nos hospitais. É a cidade de um povo que  sofre, sim, demais, para sempre.

Mas Belém, na minha cabeça, é um mosaico de imagens. O primeiro deles é a minha casa, as pessoas que eu amo. Depois vem o crepúsculo. O crepúsculo daqui é sempre ventoso, embora os dias sejam quentes como o inferno.   E aí vem a revoada dos pássaros na praça em frente a Basílica, quando dá seis horas. A chuva da tarde. O sol iluminando o ver-o-peso. O igarapé no caminho da CEASA. As lombadas das ruas que fazem os ônibus voarem. A igreja de Santo Alexandre resplandecendo na distancia. O pitiu no ver-o-peso. O tacacá aqui na pracinha. O mar de gente inundando as ruas no Círio.

Belém é isso. É o bom, o ruim, o belo e o feio.

Parabéns, minha Belém.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s